Facebook Twitter Youtube
O mundo do empreendedor é cercado diariamente pelo "variável". Todas estamos sujeitos a termos meses de lucros crescentes, mas também podemos nos deparar com ameaças no meio do caminho. Estamos aqui para ajudá-lo em sua caminhada.

O que é a Circular de Oferta de Franquias?

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Conhecido como COF, o documento estabelece todas as condições do negócio


O que é a circular de oferta de franquias?

Respondido por Claudia Bittencourt, especialista em franquias
São Paulo - A COF (circular de oferta de franquias) é tão importante que a lei de Franquias, Lei 8.955/94, destaca todas as informações que devem ser inseridas nela e assegura ao interessado o prazo mínimo de dez dias para analisá-la sem correr o risco de perder o negócio.
É na COF que estão as informações que formarão o conhecimento do interessado sobre o negócio, como o histórico resumido, forma societária e nome completo ou razão social do franqueador e de todas as empresas a que esteja diretamente ligado, bem como os respectivos nomes de fantasia e endereços.
Informações financeiras, como balanços e demonstrações financeiras da empresa franqueadora relativos aos dois últimos e indicação precisa de todas as pendências judiciais em que estejam envolvidos o franqueador, as empresas controladoras e titulares de marcas, patentes e direitos autorais relativos à operação.
Uma descrição detalhada da franquia, com a visão geral do negócio e das atividades que serão desempenhadas pelo franqueado, o perfil do franqueado ideal e os requisitos quanto ao envolvimento direto do franqueado na operação e na administração do negócio também devem estar na COF.
Outras especificações são essenciais, como o total estimado do investimento inicial necessário à aquisição, implantação e entrada em operação da franquia, o valor da taxa inicial de filiação ou taxa de franquia e de caução e o valor estimado das instalações, equipamentos e do estoque inicial e suas condições de pagamento.
A COF deve trazer informações claras quanto às taxas periódicas e outros valores a serem pagos pelo franqueado ao franqueador, detalhando as respectivas bases de cálculo e como serão usados. Esta lista inclui a remuneração periódica pelo uso do sistema, da marca ou em troca dos serviços efetivamente prestados pelo franqueador ao franqueado (royalties), o aluguel de equipamentos ou ponto comercial, a taxa de publicidade ou semelhante e o seguro mínimo.
Para informar o candidato, a COF traz a relação completa de todos os franqueados da rede, bem como dos que se desligaram nos últimos doze meses, com nome, endereço e telefone.
Em relação ao território, deve ser especificado se é garantida ao franqueado exclusividade ou preferência sobre determinado território e se há possibilidade do franqueado realizar vendas ou prestar serviços fora de seu território ou realizar exportações.
O documento fala ainda de informações claras e detalhadas quanto à obrigação do franqueado de adquirir quaisquer bens, serviços ou insumos apenas de fornecedores indicados e aprovados pelo franqueador, oferecendo ao franqueado relação completa desses fornecedores.
É na COF que o franqueado conhece os seus direitos e o que via receber do franqueados, como supervisão de rede, orientação, treinamento, manuais de franquia, auxílio na análise e escolha do ponto e layout e padrões arquitetônicos nas instalações.
Ainda como proteção, o franqueado conhece a situação da marca e patentes perante o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI).
Fica definido no documento como o franqueado deve agir caso o contrato expire e quais informações são consideradas segredo de indústria. Por fim, a COF traz um modelo do contrato-padrão e, se for o caso, também do pré-contrato-padrão de franquia adotado pelo franqueador, com texto completo, inclusive dos respectivos anexos e prazo de validade.
Fonte: Exame.com

O que fazer quando o franqueador não dá o suporte que prometeu?


Claudia Bittencourt é especialista em franquias e diretora e sócia-fundadora da Bittencourt Consultoria. 

As 5 maiores bobagens que você faz com dinheiro antes dos 30

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Saiba quais são os equívocos financeiros que é melhor você não cometer se ainda tiver tempo

* Jovem com expressão de dúvida: Um dos erros comuns entre jovens é se comprometer com um financiamento e perder oportunidades de carreira

1º Erro Viver "a Deus dará", sem fazer nenhum planejamento
São raros os especialistas que não colocam o planejamento financeiro como o primeiro passo para qualquer pessoa que deseja colocar sua vida nos trilhos. Fazer planos e registrá-los é o que leva os sonhos a saírem do campo das ideias e ganhar corpo. Mas muitos jovens pecam neste ponto.
“O jovem no Brasil vive o hoje, não se preocupa muito em planejar o futuro, em fazer uma poupança, em pensar na aposentadoria. Ele de repente precisa de um apartamento, ou de dinheiro para uma viagem, e só aí começa a fazer um planejamento de longo prazo”, comenta Nicola Tingas, economista-chefe da Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento (Acrefi).
Ao não planejar o futuro e não formar uma reserva financeira, o jovem fica sujeito a lidar com apertos financeiros da pior forma e pode começar sua vida adulta já endividado. Além disso, ao não estabelecer alguns projetos financeiros, o dinheiro é usado de forma dispersa e não é aproveitado em todo seu potencial. “Quando jovens, nós reagimos muito mais em vez de antecipar o que vai acontecer. Aí fica difícil realizar nossos objetivos”, avalia Conrado Navarro, consultor financeiro.
2º Erro Comprometer a renda com financiamentos e não ter flexibilidade no orçamento
Um reflexo da falta de planejamento é o comprometimento de boa parte da renda com dívidas. É o que acontece, por exemplo, quando a pessoa não se planeja para poupar dinheiro para comprar um carro ou um imóvel e acaba entrando em um financiamento que congela mais de 30% da sua renda.
Para Nicola Tingas, comprometer a renda com um apartamento no início da carreira pode não fazer sentido por dois motivos. O primeiro é que no começo da carreira o salário costuma ser menor do que quando a pessoa está mais velha e pode absorver melhor as parcelas, sem se sacrificar tanto. E o segundo e mais importante é que o jovem deixa de ter mobilidade no seu orçamento
“O jovem precisa ter um fluxo de caixa livre para aproveitar as oportunidades e para que sua renda tenha um efeito multiplicador. Se eu sou jovem, eu ainda não tenho nada, eu quero viajar, quero investir na carreira, em cursos, línguas e quero atender a uma cesta de desejos de consumo muito maior do que alguém na meia-idade. Se o jovem se compromete e surge uma oportunidade de fazer uma pós no exterior, ou de uma mudança de cidade por causa de um emprego, ele precisa recusar porque já está pagando um apartamento”, afirma Tingas.
Segundo ele, nessa fase pode ser mais vantajoso para o jovem pagar um aluguel e adiar a compra do apartamento não só para que ele aproveite ao máximo suas oportunidades de vida e de carreira, mas também para amadurecer a compra do apartamento, poupando parte do dinheiro para dar uma entrada maior e arcar com parcelas menos pesadas depois. Ainda que alguns argumentem que aluguel é dinheiro jogado no lixo, tendo um caixa livre para investir na sua formação, o jovem pode ganhar muito mais no futuro com o seu desenvolvimento pessoal, do que com o investimento no imóvel. 
Mas, vale ressaltar também que, se comprar um imóvel é uma prioridade para o jovem ou se sua renda permite fazer um financiamento sem se comprometer muito, esse desejo é legítimo. A recomendação de Tingas é simplesmente avaliar com cuidado que tipo de uso do dinheiro faz mais sentido para você. 
3º Erro Pensar que encontrar a melhor aplicação financeira é o único caminho para o enriquecimento
Não é raro que antes dos 30 anos os investimentos pessoais sejam vistos como uma das maneiras mais eficazes de ganhar dinheiro. Mas quem tem mais experiência reconhece que o investimento na carreira e na formação pessoal pode trazer um retorno muito maior do que o rendimento de uma aplicação financeira.
“É preciso avaliar o custo de oportunidade. O custo de oportunidade de 5 mil reais poupados em um ano pode ser pior do que o custo de oportunidade de usar 5 mil reais em uma viagem a um país que faça a pessoa aprimorar sua fluência em inglês e ligar sua cabeça para ideias novas”, comenta Nicola Tingas. 
Também é importante ressaltar que de nada adianta se concentrar em encontrar uma aplicação muito rentável se você não poupar o suficiente para fazer aportes regulares. Isso fica muito evidente no cenário atual, com o baixo rendimento dos investimentos em renda fixa e com a Bolsa em crise.
"O mais importante não é saber onde investir, ou em qual momento, mas investir sempre. O jovem pode começar de forma simples, tirando o dinheiro da conta corrente e colocando-o na poupança. Depois de aprender a importância de poupar e montar seu bolo de recursos, chega a hora de aprender a acelerar o capital", opina Navarro.
4º Erro Elevar o padrão de vida de maneira significativa repentinamente 
Outro erro comum antes dos 30 anos é a elevação do padrão de vida de forma brusca e exagerada. “É muito comum hoje que um jovem que ganha muito bem, como um engenheiro ou um advogado, queira nos primeiros anos de emprego levar um padrão de vida muito diferente do que vivia antes, comprando apartamento, carro e uma série de coisas em um curto período de tempo”, afirma Conrado Navarro.
Segundo ele, por mais que o salário comporte esse padrão mais elevado, ao aumentar os gastos significativamente de uma hora para outra, o jovem ignora o que pode acontecer em seguida. “Quando o jovem cria um padrão de vida muito alto, ele eleva seu status a uma condição que pode ficar insustentável. Ao passar por um momento de frustração ou precisar adequar o orçamento, seja porque ele vai casar, ter filho, ou porque precisa mudar de emprego, ele pode não conseguir, e isso pode ser perigoso”, completa Navarro.
5º Erro Querer chegar ao primeiro milhão aos 30, sem ter motivo para isso
“Querer juntar um milhão de reais até os 30 anos não representa um problema, mas qual é a finalidade desse milhão? O mais importante não é juntar, mas sim juntar para um grande objetivo de vida, como a compra de um apartamento de um milhão de reais”, comenta Tingas.
Para ele, sem um destino definido para a acumulação do dinheiro, o processo não faz sentido, e o jovem perde mais facilmente o foco dessa conquista. “Se a razão for simplesmente aumentar o status, provar que é capaz, por alguma questão afetiva, ter um milhão de reais talvez seja desperdício”, diz Tingas. Em vez de poupar por poupar, o valor que foi arduamente acumulado poderia ter sido investido em projetos que fizessem mais sentido.
Ele aprofunda o assunto citando o poema "Viagem à Ítaca", do poeta grego Konstantinos Kavafis. De maneira resumida, no poema, Kavafis diz a Ulisses, do clássico Odisséia, de Homero, que aproveite o processo da viagem de volta à Ilha de Ítaca - onde sua esposa o espera depois há mais de uma década - e não apenas a chegada.
“O estudo da filosofia aplicado às finanças mostra que a vida deve ser vivida. Chegar à Ítaca não é o mais importante, a viagem é o mais interessante. Não adianta chegar aos 30 anos com um milhão de reais sem ter aproveitado a vida enquanto o dinheiro era acumulado. O dinheiro tem a propriedade que nós damos a ele”, diz o economista-chefe da Acrefi.
Resumindo, o dinheiro não deve ser um fim, mas um meio. Ele não deve ser o objetivo em si, mas um instrumento que dá liquidez aos projetos de vida e que permite ao jovem aproveitar ao máximo suas experiências. 
                                                                                                                                      Priscila Yazbek, de Exame.com

#DICA de Investimento: 1CLICKDAY Social Advertise

sábado, 10 de agosto de 2013

Uma excelente oportunidade para ganhar dinheiro pela internet é a 1ClickDay.
Empresa de publicidade que lançou seu sistema de marketing multinível no dia 05 de agosto de 2013, vem com uma proposta interessante de remuneração aos seus associados.
Para saber mais sobre o negócio acesse: www.AjudaMutua1ClickDay.com

Entenda o plano de remuneração no vídeo abaixo:  ↓ ↓ ↓
 


FAQ 1ClickDay (em inglês*)

  1. WHAT IS 1CLICKDAY?

    1ClickDay.com is a site that sells online advertising packages Ad views and clicks. 1Clickday.com pays its affiliates when they visit advertisers' sites.
  2. HOW WAS 1CLICKDAY BORN?

    1CLICKDAY was born of the union of mind and strong business in Europe, Africa, Asia and Oceania who decided to invest in the fastest growing market on the planet, the Internet.
  3. WHERE IS LOCATED 1CLICKDAY?

    1CLICKDAY has part of its technological structure strategically located in Singapore, Dubai and Belgium. Because of the expansion planned for the next 10 years, offices are being opened to support the partner companies and affiliates in over 100 countries.
  4. WHAT IS THE VISION OF 1CLICKDAY?

    Our vision is to create the largest community of contacts, online traffic and a tremendous amount of business among entrepreneurs from around the world. Helping needy children to have a better future.
  5. HOW CAN I BECOME PART OF 1CLICKDAY?

    To be a customer 1CLICKDAY you only need to buy one of our packages of views via the website of one of our affiliates. To join the 1ClickDay.com as an affiliate, you must be invited by someone who is already part of the community 1ClickDay.com and get a voucher 1CLICKDAY.
  6. WHAT IS THE PRODUCT OF 1CLICKDAY?

    The product of 1ClickDay.com is package of website views.
  7. WHAT ARE VIEWS?

    Views are the amount of people who have clicked on your website link and visualized the website or the video watched on youtube for an example, that could have 1500 views, meaning that it has been viewed for 1500 times.
  8. WHO CAN BUY THE PACKAGES OF VIEWS?

    Any person or company can buy advertising packages of views.
  9. DO I NEED TO BE AN AFFILIATE 1CLICKDAY IN ORDER TO BUY THE PACKAGES OF VIEWS?

    No. You do not need to be an Affiliate 1CLICKDAY to buy packages of views and advertise your site.
  10. WHAT IS THE DIFFERENCE BETWEEN A CLIENT AND AN AFFILIATE?

    The client is a person or company that buys a package of views. An affiliate is a person who pays a fee of $ 50 and buys a specific package of views 1CLICKDAY (ClickStar or CLICKSIMPLE). The affiliate earns bonus in US Dollars and CLICKPOINTS for the sale packages of views and also to visit the websites of advertisers 1CLICKDAY.
  11. Constract after 100 days

    After completing the 100 days contract the affiliate will have the option to pay $ 50 per month package (500 views per month) to keep winning all the bonus, the bonus 1clickday least until completion of one year. In this period, the bonus becomes active myTeam RESIDUAL which is 2% ($ 1) for each monthly financial bonus from level 1 to level 6 network. (this bonus does not generate clickpoints). If the affiliate prefer not to pay this monthly fee. He needs to just keep clicking once per day on the links posted to receive the 10% bonus for the rest of the 1 year contract. The day he did not click it you do not receive the bonus the day after. By completing one year of the affiliate contract should buy back the package views (or ClickSimple ClickStar) to keep your network and start again receive 100% of all bonus.


Como Importar da China e Criar uma Loja Virtual

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Com a crise econômica que o Brasil está vivendo, muitos profissionais se viram na obrigação de ter uma renda extra ou de ter o próprio negócio. No entanto, nem sempre é fácil conseguir dinheiro para o investimento inicial, além disso a falta de informação faz com que muitas desistam dos seus sonhos.

Pegar ônibus lotados, ficar preso no trânsito, não ter tempo para cuidar da família e praticar hobbies é a reclamação da grande maioria dos assalariados brasileiros. Além de se privarem de todas as maravilhas da vida, eles ainda são mal renumerados, sem nem ao menos ter condições de oferecer um bom plano de saúde e segurança para as pessoas que mais ama.

Essa é a triste realidade de dezenas de milhões de brasileiros que vivem pelo seu trabalho e não ganham o quanto merecem. Mas felizmente muitos já se libertaram de seus patrões, das horas no engarrafamento e dos salários baixos.

Ser o patrão de si mesmo e ter um negócio escalável e lucrativo deixou de ser uma realidade distante do brasileiro para se tornar uma possibilidade.

Você pode investir em um negócio na sua cidade e faturar muito dinheiro ou investir em um e-commerce e vender para todo o mundo. Esta já é a realidade de muitos brasileiros que venceram o medo e correram atrás de seus objetivos.

Como iniciar meu próprio negócio

O primeiro passo é investir na sua educação. Aprender com quem já tem experiência no ramo é economizar dinheiro reduzindo erros e maximizando os acertos.

Se você deseja começar um negócio lucrativo que pode ser a principal fonte de renda da sua família, invista o quanto antes em você. Busque informações, compre materiais de qualidade, faça cursos e se torne um empreendedor de sucesso.

Depois disto, comece a pensar naquilo que gostaria de vender e para qual público vai vender. Atualmente, uma ótima fonte de negócios é a importação. Você consegue importar produtos baratos da China e revendê-los com uma boa margem de lucro.

O que você deve procurar aprender:

  • Como importar da China qualquer mercadoria e obter uma boa margem de lucro, elevando a rentabilidade do seu negócio;
  • Como encontrar fornecedores confiáveis para que o seu empreendimento tenha sucesso;
  • Quais os passos necessários para se criar uma loja virtual que venda como uma máquina;
  • Como os grandes empreendedores fazem para que suas lojas virtuais vendam;

Busque informações hoje mesmo em como importar da china e criar uma loja virtual de sucesso. Este é um dos melhores passos que você pode fazer para ser um grande empreendedor.
Deixe de ser um assalariado e venha ter o seu próprio negócio. Você pode ser mais um caso de sucesso no Brasil, assim como tantos outros que já vimos. Este é o momento exato para apostar no e-commerce, veja que os números são otimistas e com grandes perspectivas para o próximo ano.

A perseverança é a chave para o seu sucesso!

As 3 características do bom atendimento online

segunda-feira, 18 de março de 2013

Existem diversas técnicas de marketing digital para conseguir mais visitas, mais clientes etc., porém, é sempre essencial lembrar que apenas mecanismos não são suficientes: precisamos nos lembrar de que do outro lado, comprando o produto ou querendo mais informações sobre sua empresa, estão pessoas.
E essas pessoas, assim como você, levam em conta uma habilidade que não é qualquer empresa que consegue aplicar: o bom atendimento.
A importância do bom atendimento online
A diferença para o mundo online é que “bom atendimento” não é simplesmente falar de maneira educada e dar orientações pessoalmente, porque nesse caso você não pode contar com o fator presencial.
Trazendo mais para a raiz, principalmente nesse caso que não há uma interação humana presencial, vemos que bom atendimento pode ser definido como garantir que a experiência de compra em sua empresa (loja virtual) seja a melhor possível.
Tendo isso em mente, um ponto crucial para uma boa experiência de compra online é conseguir manter a tranquilidade do cliente.
Por exemplo, se o cliente não consegue achar alguma informação específica do produto, ou se ele desconfia da idoneidade da sua loja – esses são alguns dos pontos que podem tirar a tranquilidade do cliente e, pior, o cliente da sua loja.
Para ter um bom atendimento em sua loja virtual e manter a tranquilidade de seus clientes, aqui vão 3 dicas para você aplicar agora:
1- Fornecer diversas opções de contato
Tirar dúvidas, checar a credibilidade, conhecer mais opções – sempre existe um motivo pelo qual o cliente quer entrar em contato.
Porém, cada pessoa gosta de um tipo diferente de contato. A sua função, como empreendedor preparado, é prover o máximo possível de opções:
  • Formulário de contato
  • E-mail de atendimento
  • Telefone (se for 0800, melhor ainda)
  • Chat online
E, mais importante ainda, sua loja precisa mostrar essas opções de contato de maneira constante, pois no momento em que o cliente tiver essa demanda, ele normalmente não quer gastar muito tempo procurando o “lugar para entrar em contato”.
Ao ver isso, muita gente nos indaga: não vou receber muito SPAM? Veja nossa opinião aqui.
2- Responder rapidamente
De nada adianta você fornecer diversas formas de entrarem em contato com você, se a resposta demora uma semana. Assim, o cliente já perdeu aquele impulso da compra e, provavelmente, você perdeu a credibilidade com ele.
Isso não significa que você deve responder sempre em até 2 minutos qualquer tipo de contato.
Para garantir que a expectativa do seu cliente não será quebrada, crie uma antes que ele o faça sozinho. Por exemplo, do lado do formulário de contato ou do email de atendimento pode ter um “respondemos em até 24h”.
3- Credibilidade
Fazer com que pessoas confiem em sua loja virtual o suficiente para fazer uma compra é um processo que começa no lugar em que ele encontrou o link, passando pelo layout das páginas, apresentação dos produtos e finalmente caindo no momento da compra.
A questão é que todos os passos até a compra variam muito de acordo com o tipo de produto que é vendido e com o perfil de cada cliente.
Porém, um ponto que não varia é a segurança que o cliente requer para fazer a compra, principalmente no que se refere ao meio de pagamento e à entrega.
Uma boa maneira de garantir a credibilidade é utilizando serviços já conhecidos para esses dois pontos cruciais, já que nessa hora o que o cliente quer é segurança de que seus dados bancários não serão roubados e de que o produto realmente chegará até ele.
Uma boa solução para esse caso é fornecida pela Loja Integrada. Além de ser muito simples de configurar sua própria loja, eles já têm uma ligação direta com os meios de pagamento online mais respeitados e conhecidos do mercado (PagSeguro, PayPal, MercadoPago e BCash).
Para a parte de frete, eles fornecem um sistema que já faz o cálculo do frete via Correios (Sedex, PAC e eSedex) – ou seja, fica muito mais fácil você, empreendedor, utilizar um serviço de confiança para enviar seus produtos vendidos.
Para ver mais sobre a Loja Integrada, é só clicar aqui.
Conclusão: Coloque-se no lugar do clientePor mais que eu tenha falado sobre exemplos bem específicos, na prática, o bom atendimento é uma questão de se colocar no lugar do cliente. Quantas vezes você não sofreu ao usar lojas que não usavam as boas práticas que citamos?
Para finalizar, lembre-se que ter um bom atendimento online não precisa de muita coisa, apenas 3: opções de contato (conveniência), resposta rápida e credibilidade.
Abraços,
Luiz Piovesana (obcecado por atendimentos exemplares)

Fonte: http://www.saiadolugar.com.br/marketing/as-3-caracteristicas-do-bom-atendimento-online/

Como ganhar dinheiro vendendo produtos no eBay e/ou Mercado Livre

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Você com certeza possui um monte de coisas, objetos, roupas que não usa e nem precisa mais. Está esperando o que para vender isso tudo?

Existem vários sites que se propõe a anunciar o seu produto sem cobrar grande parte do seu lucro. Os mais conhecidos são o eBay e o Mercado Livre.

Colocar o produto no ar é bem simples. Só é preciso fazer um cadastro de vendedor no site, mandar as fotos e determinar por qual valor você pretende vender ou, no caso do eBay, qual será o preço mínimo da sua venda, pois o site funciona também como um leilão, quem der o maior lance, leva o produto.

Descrever o produto de forma realista é imprescindível. Caso você diga que está vendendo um produto com uma qualidade maior do que a que ele realmente tem, isso afetará na avaliação que o consumidor fará sobre você enquanto vendedor. Lembre-se: quanto mais opiniões positivas, mais chances de vender e crescer seu negócio no ebay e Mercado Livre.

Antes de dar qualquer passo, preste atenção no cálculo da margem de lucro que você pode ter. Se o seu produto for popular, será preciso vender várias unidades para obter algum lucro. Mas, por outro lado, se você estiver pensando em vender algo considerado raro, ou seja, difícil de ser encontrado no mercado, o valor do produto sobe e, consequentemente, a margem de lucro também.

Para conseguir altas margens de lucro que podem chegar a 400%, muitas pessoas que anunciam produtos no mercado livre compram direto da china e vendem no mercado brasileiro. Isso garante altíssimos lucros como citei anteriormente e tornam o negócio de vendas pelo Mercado Livre uma forma de ganhar dinheiro altamente rentável.

Vale a pena trabalhar em casa?

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013


Muitas pessoas mundo afora são adeptas ao trabalho em casa. A tecnologia permite que várias atividades sejam realizadas sem que o profissional esteja em uma base da empresa,o que elimina deslocamentos e diminui a necessidade de espaço físico nos escritórios.

Para o empreendedor também há importantes vantagens, como economia em aluguel de imóvel comercial, diminuição de custo com transporte, ganho de tempo, entre outros.
Mas será que vale a pena? E o contato com as pessoas, que deixa de existir? E aquela mudança de ambiente diária, que quebra a rotina e faz tão bem?


Veja então algumas dicas bem humoradas de alguém que vive essa situação – Leigh Buchanan , editora de uma revista americana. Ela foge do óbvio, como a definição de um horário de trabalho e de um local onde haja privacidade que permita você se concentrar. São orientações bem interessantes.

“Trabalho de casa há três anos. Às vezes fica bem solitário e sinto falta das conversas nos corredores, que fazem surgir ideias inesperadas ou ajudam a formar parcerias. Mas, em geral, tem sido uma experiência satisfatória. Consegui me manter produtiva, e a redução no estresse de não ter que atravessar a cidade provavelmente aumentou um ano em minha vida. Para aqueles que vão embarcar nessa experiência oito dicas para se dar bem.”


1- A linguagem é importante. Nunca diga ‘trabalho em casa’. Diga ‘meu escritório é em casa’. Além de soar mais profissional, você não entra para a lista de amigos e parentes como aquela-pessoa-que-pode-pegar-meu-filho-na-escola ou outros compromissos.
2- Algumas pessoas gostam de se vestir para o trabalho, mesmo que eles nunca ponham o pé pra fora de casa. Outras gostam de andar pela casa de pijamas. É uma escolha pessoal. Mas se você preferir a última, pelo menos troque de roupa uma vez de dia e de noite. Casual, sim. Sujo, não.
3- Fale com alguém do trabalho pelo menos uma vez por dia. Longos momentos de silêncio são angustiantes. Melhor falar com gerentes, que sabem da situação geral.
4. Fofocar, navegar na internet e comprar uma coisinha durante o almoço são maneiras saudáveis de desanuviar a cabeça do ambiente barulhento, do café ruim e da cadeira desconfortável comuns ao trabalho. Apesar de em casa haver mais silêncio e conforto, não dá pra trabalhar oito horas sem parar. Então faça coisas úteis como pausa: lave roupa, varra o chão, faça um exercício (somente se você não gostar de se exercitar; se for divertido, você vai se distrair).
5- Se você tem filhos, explique a eles que quando sua porta estiver fechada, eles não devem incomoda-lo. Se eles não obedecerem, diga que se eles interromperem seu trabalho você vai perder os seus prazos, vai ser demitida, a família vai viver na rua e você vai vender seus brinquedos para comprar comida.
6- Galinhas adorariam trabalhar das 4h às 13h; as corujas, das 15h à meia-noite. Mas lembre-se de que alguns compromissos, ligações e conferências podem ser fora de seu horário de preferência. É tentador criar uma rotina adaptada ao seu organismo; mas é melhor se basear nos horários em que o mundo exige que você esteja disponível.
7- Tenha um aparelho somente para o trabalho, assim você não corre o risco de alguém atender desavisadamente e você pode atender no modo profissional.
8- Tenha uma cafeteira boa. A minha é uma Saeco Incanto Sirius, que faz um expresso fenomenal, mesmo tendo esse nome que parece saído de um livro do Harry Potter.

Uma ótima dica para quem gostaria de trabalhar em casa, é conhecer o negócio da Polishop.                                                                                                              Fonte: PEGN

Quer saber como trabalhar em casa? Deixe seu comentário!

Que tipo de empreendedor é você?

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012


Assim como nenhum negócio é exatamente igual a outro, não existem dois empreendedores iguais. Mas é possível classificar os donos de empresas em algumas categorias distintas, de acordo com o seu estilo de gestão. Foi o que fez o site All Business, que listou seis tipos diferentes de gestores: o conservador, o nazista, o afável, o homem de família, o colaborador e o conectado. Leia as descrições a seguir e descubra qual deles se encaixa mais com seu jeito de tocar o negócio.
1. O conservador Você usa o mesmo celular há anos, e nunca colocou as mãos em um tablet. Já ouviu falar em empreendedores que usam programas de gestão, mas acha que eles são um desperdício de tempo e dinheiro, já que as velhas planilhas Excel resolvem muito bem o problema. Sua maior preocupação é economizar: nada de publicidade, poucos funcionários, nenhuma consultoria externa. Expandir? Nem pensar: tudo que você quer é levar seu pequeno negócio em paz. Talvez esteja na hora de chacoalhar o seu velho mundinho e injetar algumas ideias novas no negócio.
2. O nazista Você é bom no que faz – o melhor, na verdade. Espera perfeição de você mesmo e também dos seus funcionários e fornecedores. Qualquer erro é capaz de te tirar do sério: afinal, você é um artista, e nenhuma pincelada pode estar fora do lugar. Você acha que seu talento é desperdiçado com seus clientes, já que a maioria deles são idiotas. Eles não sabem o que querem, não conseguem se decidir e só reclamam. Que tal parar de olhar para o próprio umbigo e ouvir o que eles estão dizendo?
3. O afável Você identificou um nicho de mercado e seu objetivo é atendê-lo, com base na sua paixão e experiência. Você criou um ambiente agradável para você e seus funcionários e clientes, que se sentem acolhidos. Todos querem trabalhar com você, porque você é tão gentil e afável. Claro que o negócio poderia se expandir, ou adotar o sistema, mas pra que fazer isso? Você perderia sua segurança, certo? Errado. Está na hora de assumir alguns riscos e realizar todo o potencial da sua empresa.
4. O homem de família Sua avó cuida do refeitório, sua esposa organiza os eventos, suas sobrinhas e sobrinhos trabalham com marketing/servem as mesas/atendem o telefone. Quando alguém se casa, vira funcionário. Você nunca contratou ninguém de fora. Para que serve a família, senão para contruir, unifs, o sucesso do negócio? E se existem dezenas de erros sendo encobertos, bom, ninguém tem nada a ver com isso. É um assunto de família. A não ser, é claro, que esses erros comprometam as finanças da empresa – e aí pode ser tarde demais.
5. O colaborador Você trabalha bem com outras pessoas e adora ser parte de um time criativo. Lida bem com opiniões divergentes e adora uma boa discussão. Seu maior talento está em encontrar pessoas que se encaixam no negócio, para depois dividir com eles as responsabilidades e as recompensas. O problema é que, quando as coisas dão errado, seu primeiro impulso é culpar o time. Talvez esteja na hora de aprender que algumas coisas não devem ser divididas.
6. O conectado Você entende de networking como ninguém. Conhece todos os jogadores na sua área e não se importa de ajudar os colegas. Participa de eventos de caridade, fóruns de discussão, associações etc. Sabe o nome de seus maiores clientes e interage com eles nas redes sociais. Você está em todo lugar, de tal maneira que se tornou indispensável para a sua comunidade. Até aí, tudo certo. Só precisa aprender a ter alguns momentos de isolamento, para esvaziar a mente e deixar as novas ideias chegarem.
Fonte: PEGN

Deixe seu comentário:

Como Montar uma Franquia Subway

terça-feira, 18 de dezembro de 2012


subway4 300x87 Como Montar uma Franquia Subway
rede de franquias Subway  tem inúmeras lanchonetes aqui no Brasil, isso se da por conta de seus sanduíches estilo submarino de excelente qualidade. A Subway é líder no numero de franquias nesse segmento, o que torna cada vez mais atrativo para os investidores já com conhecimento no mercado consumidor de fast foods, e mesmo os que estão procurando algo rentável  para investir o seu dinheiro. O retorno é garantido, porem não é tarefa tão simples montar uma franquia, seja ela qual for.
O sistema do Subway consiste em pães, que podem ser de vários sabores, no estilo submarino feito todos os dias, o que torna o produto fresco e de ótima qualidade, com ingrediente geralmente saudáveis e deliciosos, com varias opções de molhos. E o seu atrativo principal é a autonomia do cliente, pois é ele quem escolhe o que irá compor seu lanche, de acordo com seu desejo e opções de tamanhos. O que atrai milhares de admiradores desses maravilhosos sanduíches.
Para auxiliar os interessados em saber como se tornar um franqueado Subway, vamos organizar o que fica de responsabilidade do interessado (franqueado) e o que fica por conta da Campainha Subway.
Ao franqueado é preciso: Custo inicial da franquia; Encontrar o local; Aluguel ou Compra do equipamento; Contratação de pessoal e operação do restaurante; Pagamento de 8% de direitos autorais; Pagamento de 3.5% da quota de publicidade para o fundo de promoções.
Campanhia oferece: Acesso às fórmulas dos produtos e sistemas operacionais; Assistência ao local; Assistência no pedido dos equipamentos; Assessoria para o desenho do plano estabelecimento; Programa de treinamento; Manual de Operações; Representante para auxiliar na abertura do restaurante; Avaliações periódicas e suporte contínuo; Publicações informativas.
Lembrando que a campainha deve auxiliar o franqueado em quase todos os quesitos, uma vez que são disponibilizados treinamentos intensos para o franqueado.
Se tratando de números, vamos verificar uma média para se ter uma idéia do tamanho do investimento:

Investimento inicial é de R$ 250.000,00 sem o ponto comercial.
Taxa de franquia: US$ 10.000,00 e US$ 5.000,00 se a loja for aberta até um ano depois do contrato.
Estoque inicial: R$ 8.000,00
Equipamentos e mobília: R$ 110.000,00
Reforma de R$ 50 a R$ 60 mil
Taxa de Royalties deve ser de 8% do faturamento liquido
Taxa de publicidade: 4,5% do faturamento líquido
Capital de giro: R$ 10.000,00
Faturamento mensal: R$ 65.000,00
Margem de lucro sugerida: R$ 15% do Faturamento médio
Numero de funcionários (pode variar de acordo com o fluxo de consumidores): de oito a doze
Prazo de retorno (lucro): de dezoito a vinte e quatro meses
Área da loja (estimativa) de: 32m² a 100m²
A Subway sugere que o franqueado preste muito atenção no local escolhido para a abertura do estabelecimento, pois o local é grande responsável pelos lucros da empresa, ou seja, com uma boa localização, provavelmente mais clientes irão comprar, o que significa bons lucros.
Para visualizar todo o conteúdo de como montar uma franquia Subway, a empresa disponibiliza um arquivo com todas as informações, como itens necessários para a abertura de uma rede Subway, até depoimentos sobre a satisfação dos franqueados antigos do Subway. Assim como disponibilizam o que é necessário para obter informações mais concretas de interessados a abrir uma franquia Subway.
Fonte: Subway



Principais dicas para ser um bom empreendedor

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Para se tornar um bom empreendedor algumas dicas devem ser seguidas para que o profissional consiga ter o sucesso almejado, entre algumas estão:

  • Antes de abrir qualquer tipo de negócio fazer uma pesquisa de mercado, para saber como será a aceitação do produto ou bem que deseja comercializar;
  • Desenvolver a criatividade para elaborar produtos realmente úteis e inovadores para os consumidores;
  • Ter uma visão ampla de todas as possibilidades do empreendimento que deseja abrir e, saber lidar com os vários tipos de adversidades que porventura venha a enfrentar;
  • O bom empreendedor é aquele que arrisca no seu negócio e não tem medo de fracassar. No entanto sabe medir os possíveis riscos que envolvam um determinado tipo de empreendimento;
  • A informação sobre a área onde pretende atuar é fundamental para que o empreendedor  possa cada vez mais otimizar seu negócio. Ter sempre em mente que quando as pessoas tem conhecimento das tarefas que fazem normalmente costumam executá-las de forma bem feita, e isso com certeza é um diferencial que certamente trará novos clientes para gestor de seu próprio negócio;
  • Os especialistas em gestão de negócios recomendam que o empreendedor que está abrindo seu próprio negócio deve fazer um planejamento de pelo menos três meses de suas finanças, incluindo todos os gastos que deverá ter com o  empreendimento.

 
Dicas de Empreendedorismo © 2012 | Designed by Bubble Shooter, in collaboration with Reseller Hosting , Forum Jual Beli and Business Solutions